Skip to content

Redes GPON: tudo o que tem de saber sobre as redes do futuro

As redes de telecomunicações são para as empresas um investimento estratégico que se pretende “future-proof”. O investimento em redes de alto débito que permitam garantir a incorporação de serviços futuros com exigência de elevada largura de banda é assim crucial.

Assegurar que a infraestrutura é um meio seguro, de elevada fiabilidade assume também fator decisivo.

A diferenciação num mercado competitivo, como o da hospitalidade, a satisfação das expetativas dos hóspedes, consequente fidelização e influencia dos seus comentários e classificações, assim como o aumento da rentabilidade são outros fatores determinantes.

E por último, mas não menos importante, os aspetos económicos relativos ao investimento (CAPEX) e custos operacionais (OPEX) são naturalmente requisitos de elevada preponderância.

É neste contexto que as redes GPON (Gigabit Passive Optical Network) , redes de alto débito, future-proof , assentes numa infraestrutura passiva com capacidade para suportar a evolução dos standards [XG-PON (10Gbps – 2,5 Gbps), XGS-PON, TWDM-PON (10Gbps-10Gbps) e os  futuros > 40G &100G] , fiáveis, com garantia de desempenho e imunidade a interferências eletromagnéticas (EMI) e de rádio frequência (RFI), revelam atualmente grande expansão e popularidade em diversos sectores de atividade tais como: Hotéis, Saúde, Educação, Escritórios, Indústria, Gestão pública, Hospitais…Desenvolvem-se da sala técnica, com origem no OLT  (Optical Network Termination) , que controla todo o protocolo, a jusante servindo os clientes e colaboradores e a montante gerindo os serviços  a disponibilizar, utiliza como meio de distribuição uma rede ótica passiva (PON) que segue uma arquitetura P2MP (ponto-multiponto), e termina no ponto de interface do cliente com a rede (User Network Interface) onde é instalado o ONT (Optical Network Termination).

Fig.1 FTTR – Arquitetura da rede

A rede de distribuição ótica (ODN) é completamente passiva, somente constituída por fibra e splitters óticos passivos.  Os rácios de splitagem poderão ser 1:64 ou 1:128, o que permite que um OLT com 8 portas PON suporte respetivamente 512 (8 x 64) ou 1024 (8 x 128) ONT’s.

Fig.2 – OLT

Ao nível do (User Network Interface) o ONT serve os aposentos do hóspede com HSI (Internet de alta velocidade), Voz (VoIP), Wi-Fi, Televisão (IPTV ou RF Overlay).

O ONT dispõe de duas portas FXS, para, por questões económicas ou de outra índole, permitir a utilização de terminais de voz analógicos.

O ONT poderá servir igualmente as partes comuns do edifício disponibilizando serviços condizentes com as suas necessidades, tais como CCTV ou outros.

Fig.3 ONT

Vantagens:

Investimento estratégico “future-proof”

Rede de alto débito que permite garantir a incorporação de serviços futuros com exigência de elevada largura de banda.

Elevada fiabilidade: Imunidade a interferências eletromagnéticas (EMI) e de rádio frequência (RFI). As Redes de cobre deficientemente instaladas podem radiar ou ser impactadas por interferência EMI/RFI presentes no seu percurso.

Sabe-se que a maioria de problemas que ocorrem nas redes de cobre se relacionam com interferência EMI, crosstalk e desadaptação de impedância, nenhuma das quais afeta a fibra.

Evolutivo: a mesma infraestrutura pode suportar novos standards como: XG-PON(10Gbps-2.5Gbps), XGS-PON, TWDM-PON (10Gbps-10Gbps) e os futuros > 40G & 100G

Redução significativa de custos CAPEX e OPEX

Redução da cablagem, caminho de cabos e de topologias físicas complexas: Menores custos de instalação e manutenção.

Sendo a rede GPON uma rede passiva, não requer equipamentos ativos entre o OLT, instalado na sala técnica e o ONT instalado nos quartos. Desta forma, reduz-se a necessidade de espaço e consequentemente a complexidade dos bastidores dos PD’s (Pontos de Distribuição). Tratando-se de equipamentos passivos deixa de ser necessário a instalação de climatização, contribuindo adicionalmente para redução do consumo energético e das necessidades de manutenção.

Menor complexidade e requisitos de espaço da sala técnica e PD’s

Menor consumo de energia Gestão centralizada da rede: redução de custos e complexidade operacional e de manutenção.

Satisfação das expetativas dos hóspedes:

Largura de banda mínima garantida aos utilizadores com possibilidade de marcação de serviços prioritários.

QoS [P-bit (0..7) define prioridade do tráfego de ingresso  e CIR – Committed Information Rate  – atribui largura de banda]

Maior velocidade ao acesso à informação.

Qualidade e fiabilidade do serviço. Melhor experiência de utilização dos serviços IPTV,  VoIP e acesso à Internet via WiFi

Nota: Enquadramento GPON com a prescrições técnicas ITED

Fig.5 ITED – Redes de cabo (Prescrições mínimas)
Edifícios de escritórios, comerciais, industriais e especiais novos

No contexto da alteração das prescrições e especificações técnicas que regem as Infraestruturas de Telecomunicações em Edifício (ITED), aprovadas pela Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), com entrada em vigor a 1 de abril de 2020 e período transitório, até 31 de julho de 2020, as redes GPON passam a ter enquadramento. Onde no ITED 3 se lê a obrigatoriedade de passagem, entre ATI-PD  e PD-PD, de cabos das 3 tecnologias ( Coaxial, Pares de Cobre e Fibra), no ITED 4 é deixado ao critério do projetista tendo em conta o fim a que o edifício se destina.

Autor: José Couto, da Teka

Achou este artigo útil? Partilhe:
Tópicos
Artigos Mais Lidos
Subscrever newsletter
  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.
Artigos Relacionados

Fazer compras numa era de ruptura

Uma ida às comprar parece um pouco diferente para os compradores e fornecedores de mercearias nos dias de hoje.
Ler mais

5 regras de etiqueta de quem usa auscultadores para trabalhar

Se tiver um telefone comercial como o MiVoice 5360 IP Phone, pode usar um headset para salvar o seu pescoço e libertar as suas mãos para outras tarefas, como tomar notas. Mas com grande poder vem também grande responsabilidade.
Ler mais

5 Sinais de que necessita de atualizar o seu sistema de comunicações

Neste ebook gratuito, a Mitel aprofunda este tema e permite-lhe fazer um diagnóstico para saber se está na hora de atualizar o seu sistema.
Ler mais

3 razões pelas quais deveria adicionar ferramentas de colaboração ao seu sistema Mitel MiVoice Office 400

Descarregue este ebook gratuito para saber as vantagens que pode tirar em ter ferramentas de colaboração no seu sistema Mitel.
Ler mais